Histórico Piratini

A história do município de Piratini remonta a 1777, quando os primeiros militares portugueses instalaram-se às margens do rio Piratinim. Já em 1789 vieram 48 casais das ilhas dos Açores para, naquelas terras, residir e trabalhar. Entre 1819 e 1824 os prédios mais significativos foram construídos, incluindo solares e sobrados.

A tradição guerreira da cidade iniciou-se já em 1827, quando muitos habitantes da Freguesia tomaram parte na campanha da Cisplatina. Por ocasião da Revolução Farroupilha, em 8 de outubro de 1835, a vila foi ocupada pelos Farrapos. Devido à posição estratégica da cidade e à simpatia com que os habitantes receberam os guerreiros, Piratini foi escolhida como centro das operações.

Em menos de um ano, no dia 11 de setembro de 1836, é proclamada a República Rio-Grandense, sendo Bento Gonçalves da Silva eleito presidente, embora recolhido na prisão. Em 10 de novembro do mesmo ano Piratini foi eleita capital da novel República e em 1837 elevada à categoria de cidade. Nos anos que sucederam a população nunca abandonou os princípios republicanos, unindo-se aos combates pela causa.